Relação fé cristã e ciência: introdução

Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste;

Que é o homem mortal para que te lembres dele? E o filho do homem, para que o visites?

Salmo 8:3, 4

Gostaria de abrir uma nova série no CosmoTeo. O assunto será a relação entre fé cristã e ciência. Afinal, no CosmoTeo sempre estou trabalhando com assuntos misturando cosmologia (e ciências em geral) e teologia. Ou seja, sempre estou partindo do pressuposto que ciência e fé cristã tem a mesma fonte, não tem conflito e muito menos, há incompatibilidade entre elas.

Mas, não é assim que muitas pessoas pensam sobre a relação entre fé e ciência, principalmente os nossos irmãos da igreja. Para muitos, a ciência é feita por ateus, materialistas ou algum outro “ista” a ser adjetivado. A minha intenção é, nesta série, desmistificar estes erros: ciência e fé cristã nunca estiveram separados; talvez, hoje, trabalhamos de forma mais categorizada devido a questões metodológicas. O público que direcionarei estes artigos é justamente composto por cristãos: não farei uma apologética apaixonada em tentativa de conversão de ateus / agnósticos ou “provar” a existência de Deus por meio da ciência. Meu foco será mostrar que não há incompatibilidade entre os dois livros escritos por Deus.

Deixarei algumas recomendações de livros, artigos e vídeos nas referências. Tentarei fazer uma exposição misturando alguns processos históricos e pesquisas científicas no sentido de mostrar a compatibilidade ou, no mínimo, que não existe incompatibilidade entre essas duas áreas. Também apresentarei alguns modelos de interação (já que “perdemos” a conexão) e possíveis respostas (dentro dos modelos teóricos) de diversas questões. Obviamente, não pretendo fazer um tratado sobre filosofia da ciência ou trazer toda a carga de epistemologia ou metafísica; não. O objetivo é ser panorâmico e o mais prático possível.

Como introdução, é necessário conceituar alguns termos. O primeiro deles é modelo ou teoria. Sempre irei intercambiar estes dois termos e, para o propósito que quero, modelo é um sistema que incorpora um ou mais conjuntos de dados, relacionados entre si com argumentação e que descreve, de forma satisfatória, um ou mais fenômenos. Cientificamente falando, teoria ou modelo é o mais alto grau de conhecimento sobre fenômenos e que engloba matematização, explica as observações sobre aquele(s) fenômeno(s) e deixa algumas previsões. Hipótese é um “chute”, uma “opinião” ou uma ideia a ser testada em um conjunto de dados ou observações. Já a lei é uma descrição de um determinado fenômeno.

Vou exemplificar melhor esses conceitos. Como exemplo: tenho uma hipótese que o fogo é formado por partículas cúbicas. Dentro da termodinâmica, tomo esta hipótese e faço teste diversos (laboratório, observações astronômicas etc). Mas, ao fazer isso descubro que o fogo não é formado por partículas cúbicas; descarto esta hipótese. Veja que hipótese é o termo mais perto do que o senso comum chama de “teoria”.

Teoria ou modelo é uma forma de aglutinação de conhecimento baseado em diversas explicações e evidências. Isso significa que teoria não é um achismo ou um chute (isto estaria mais para hipótese a ser testada: aceita ou descartada). Do outro lado, temos a lei que é constantemente confundida com teoria. Lei é uma forma de descrever, com alto rigor técnico (matemática, observações, evidências etc) um determinado fenômeno. Exemplificando: a lei de gravitação universal de Newton descreve como a gravitação funciona, a queda de objetos e a relação que ela tem com massas e distâncias. A lei não dá origem da gravitação e não diz o que provoca a gravidade; simplesmente descreve-a com uma equação relacionando massas e distância. Já a teoria do teleparalelismo diz qual é a fonte ou a origem da gravidade: torção do espaço-tempo (não se preocupe com estes termos técnicos). Ou seja, dentro do teleparalelismo, há explicação ou descrição do funcionamento da gravidade com adição de sua natureza. Veja que lei e teoria são definições de conhecimento diferentes: lei não evolui para teoria e vice-versa.

Dois outros conceitos que já queria deixar de antemão é o de ciência e o de religião / fé cristã. Vou tomar a definição do Denis Alexander que atende bem ao que pretendo trabalhar nesta série: é um esforço intelectual em conjunto com vários pesquisadores para explicar o funcionamento de várias engrenagens no mundo físico através de investigações empíricas, modelos construídos por uma comunidade e leis. Claro que expandi um pouco mais o conceito que ele traz para englobar a definição de teoria e lei. Um destaque: considero ciência como um empreendimento intelectual de comunidades em diversas áreas, não só das ciências naturais.

Alexander, no artigo do Faraday Paper é mais geral na questão de relacionar ciência e religião. Quero fazer algo mais específico ao nosso contexto: fé cristã, cristianismo. Mas, partindo da definição que Alexander faz, resumirei a fé cristã como um sistema teológico baseado na Bíblia (única regra de fé e prática, infalível e inerrante) e que tem, por realidade transcendente e criadora, o Deus trino criador de tudo e que se encarnou em um homem chamado Jesus, o Cristo, em um período histórico. Como complemento, o destaque sistema teológico significa que a teologia tem seu empreendimento científico e suas teorias (ou, como chamamos, doutrinas cristãs) ou modelos.

Como você pode ver, o assunto é bastante extenso e hoje apenas fiz um rápido panorama em alguns conceitos. Há diversos caminhos que pretendo percorrer, por exemplo: o relacionamento histórico da ciência e religião / fé cristã ao longo do texto bíblico e ao longo da história da igreja, cientistas cristãos históricos e atuais, “conflitos” (ou, melhor dizendo, falsos conflitos), modelos para relacionar teologia cristã e ciência e outros temas.

Assim diz o SENHOR: O céu é o meu trono, e a terra o escabelo dos meus pés; que casa me edificaríeis vós? E qual seria o lugar do meu descanso?

Porque a minha mão fez todas estas coisas, e assim todas elas foram feitas, diz o Senhor; mas para esse olharei, para o pobre e abatido de espírito, e que treme da minha palavra.

Isaías 66:1, 2

Só isso?! Sim! Mas, ficou em dúvida, quer perguntar algo, deixar algum comentário ou sugerir algum tema, deixe abaixo! Ficarei feliz em te responder, seja nos comentários ou em algum artigo específico.

Sugestão de leitura

  • O melhor material, em português, no assunto entre ciência e fé cristã é o Dicionário de cristianismo e ciência, editora Thomas Nelson Brasil em parceria com a Associação Brasileira de Cristãos na Ciência;
  • Outro excelente livro é a coleção de artigos do Terra plana, Galileu na prisão e outros mitos sobre ciência e religião, editora Thomas Nelson Brasil em parceria com a Associação Brasileira de Cristãos na Ciência;
  • Confissão de Fé Batista de 1689, onde versa sobre várias doutrinas cristãs fundamentais: http://www.monergismo.com/textos/credos/1689.htm;
  • No site da ABC2 há muito material (artigos e vídeos no YouTube) sobre o relacionamento entre ciência e fé cristã: http://cristaosnaciencia.org.br/.
Dr. Alexandre Fernandes

Até a próxima!

Observatório astronômico do Vaticano
Clique aqui para ver a fonte da imagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *