CosmoTeo: Cosmologia e Teologia no mesmo universo


Inauguro hoje uma sessão que trataremos sobre cosmologia e teologia. Como trata-se de uma abertura, é interessante trazermos algumas definições e, principalmente, a relação entre a ciência e a fé cristã. As definições citadas aqui talvez possam servir de base em outros textos futuros. A relação entre ciência e fé que utilizaremos é o modelo complementar. Sempre no final de cada texto colocarei algumas sugestões de livros, artigos e mídias para expandir o assunto.

Começando do começo: “No princípio criou Deus os céus e a terra”. É exatamente assim que o texto bíblico em português se inicia. A afirmação é de Deus ser o criador de tudo e os objetos da Sua criação, no contexto de Gênesis, é toda a realidade física. Em consonância com o AT (Antigo Testamento), Paulo vai dar a causa, “Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra,” e o objetivo de toda a criação, “Tudo foi criado por Ele e para Ele”. Neste trecho inicial da carta aos Colossenses, Paulo está posicionando Cristo (a causa e o objetivo final da criação) na história e no tempo, ou seja, na realidade física.

O que é cosmologia? É simplesmente o estudo do universo como um todo. Parece que é muita coisa (e é) mas há diversas subáreas e pesquisas na Física para abranger a maior quantidade de fenômenos possível. Mas, para simplificar um pouco mais, a cosmologia vai tratar dos primórdios do universo e de toda a sua dinâmica e evolução. O que chamamos de universo, em termos espaciais, é até onde conseguimos ver com nossos aparelhos (telescópios, antenas, observatórios e satélites). Já o conteúdo é tudo aquilo que compõe a parte física: poeira cósmica (análogo a nossa poeira terrestre), planetas, estrelas, aglomerados de estrelas, galáxias e aglomerados de galáxias. Uma analogia sobre o objeto universo: pegue um copo, coloque água e areia. O universo é o copo, a água e a areia são o conteúdo. As partículas de areia são as galáxias. É por esse caminho que a cosmologia trata.

O universo primordial está relacionado ao máximo que conseguimos estudar (por equações e/ou observações) no período mais inicial do universo. Não conseguimos estudar o início exato (ou seja, o t = 0) dele pois nossas equações não funcionam (ao invés de dar um valor elas resultam em infinitos e isso não faz sentido na Física) e precisamos ir para a metafísica. Mas, podemos modelar (teorias: o mais alto grau de conhecimento científico com bases em evidências) como foram os primeiros instantes do universo com base no que ele é. E o ramo que trata destes eventos é a cosmologia quântica.


Galáxia (em destaque) mais distante observada pelo Telescópio Espacial Hubble. Esta imagem é de quando o universo tinha apenas 400 milhões de anos de idade; ele tem cerca de 13,8 bilhões de anos.
Fonte: https://www.nasa.gov/feature/goddard/2016/hubble-team-breaks-cosmic-distance-record

Teologia já é um campo bastante conhecido por nós, cristãos. Definir como o estudo de Deus é uma pretensão humana muito otimista, mas parafraseando Anselmo de Cantuária, é a busca da fé a conhecer Deus. Dentro desta área surge outro universo de estudos, pesquisas e subdivisões: sistemática, bíblica, histórica etc. Para efeitos práticos, sempre tratarei que a teologia relacionada à cosmologia é cristã, ortodoxa e reformada.

Assim como há discussões soteriológicas entre arminianos e calvinistas, ou debates escatológicos entre amilenistas e pós-milenistas, no que tange à relação entre ciência e fé cristã também está recheada de boas conversas. Mas, nenhum debate nos separa do corpo de Cristo quando é tomado em respeito e bom nível. Por exemplo, Denis Alexander (diretor emérito do Faraday Institute for Science and Religion em St Edmund’s College; um instituto que trata sobre a relação entre ciência e religião) descreve quatro modelos (pode haver mais) que relacionam ciência e religião. O que eu sigo, de forma geral, é aquele que coloca a ciência e a fé cristã (este última com meu filtro) na mesma realidade: o mundo físico é a criação de Deus e a transcendência de tudo também é o próprio.

O mundo físico é acessado ou interagimos com ele através da ciência, do método científico: teorias (não é o mesmo do senso comum), observações, experimentos, previsões. Já a transcendência, aquilo que está além do mundo físico, é acessado nas revelações de Deus: a Geral (alguém criou tudo) e a Especial (personalização do Criador na relação com o homem de forma escrita: as Escrituras). E os métodos para estudo da Palavra são os descritos na teologia partindo da interpretação bíblica (exegese + hermenêutica).

Por fim, uma palavra sobre quem eu sou. Antes de qualquer coisa, sou cristão, trinitário e reformado. O resto vem exatamente depois de Cristo na minha vida: físico, pesquisador em cosmologia quântica, líder em Brasília – DF e conselheiro regional da ABC2 (Associação Brasileira de Cristãos na Ciência). A ABC2 é uma instituição que trata, de forma ampla, dos assuntos que mencionei acima: natureza física e Bíblia são dois livros escritos pelo mesmo Autor de forma harmoniosa. Mas a associação é muito mais geral do que só Física: há milhares de cientistas em todas as áreas do conhecimento, desde as ciências naturais até as ciências econômicas.

Apenas para vislumbre, esta é a linha que vamos expor na CosmoTeo: Cosmologia e Teologia. Vamos conversar muito sobre ciências (tendendo, óbvio, para Física e cosmologia, sem esquecer das outras irmãs) e teologia. Minha intenção sempre será explicar o que é mais complicado, nessas duas áreas, de forma mais simples e coloquial possível. Aos meus companheiros de ciência, ignore a linguagem mais simples em favor de uma divulgação mais ampla. Aos meus líderes das igrejas e teólogos, observem que é apenas uma tentativa de boa-fé de levar toda a complexidade das doutrinas a um nível mais palatável.

  • Todas as referências bíblicas citadas aqui ou em outros textos são retiradas da Bíblia versão Almeida Corrigida e Revisada Fiel ao Texto Original (ACF) da Sociedade Bíblica Trinitariana, a não ser que seja expressamente citada outra versão. Ela pode ser encontrada via app para celular (Bíblia Fiel) ou pelo site https://www.bibliaonline.com.br/acf
  • Sempre citarei livros e artigos de cosmologia, procurando os textos em português e os mais simples, primeiramente. Para hoje, recomendo o Alfa e ômega: a busca pelo início e o fim do universo, de Charles Seife, editora Rocco, 2007. Está um pouquinho desatualizado com relação a dados, mas nada que prejudique a leitura
  • Dicionário de cristianismo e ciência: obra de referência definitiva para a interseção entre fé cristã e ciência contemporânea, editora Thomas Nelson Brasil em parceira com a Associação Brasileira de Cristãos na Ciência (ABC2), 2018: este é o melhor livro, até o momento, que trata sobre essa relação
  • Artigo do Denis Alexander sobre os modelos de interação entre ciência e religião: https://www.cristaosnaciencia.org.br/parturient-egestas-vehicula/
  • Site da Associação Brasileira de Cristãos na Ciência (ABC2), que tem milhares de artigos, vídeos e livros já publicados sobre essa temática: https://www.cristaosnaciencia.org.br

Dr. Alexandre Fernandes

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *